Vida de Imigrante

Como eu me planejei financeiramente para vir para a Noruega

4 de agosto de 2017

Esse é um assunto que pode ser de mínimo interesse das pessoas, e talvez algumas pensem que só porque o motivo de eu estar aqui é porque eu me casei com um norueguês, que a minha vida é muito fácil, eu tenho tudo de mão beijada e talvez pensem até que eu esteja sendo 100% bancada pelo mesmo durante a minha estadia aqui na Noruega. A verdade é que eu me planejei muito antes de me mudar definitivamente de país. Eu sempre fui muito pé no chão, e com 10 anos de carreira no Brasil, pra mim era muito difícil me imaginar completamente dependente de outra pessoa. Mesmo que eu ainda estivesse morando com o meu pai lá em Santo André, eu sempre tive a minha renda para comprar o que eu quisesse, e com ele morando quase 80% do tempo no Mato Grosso a trabalho, eu acabei aprendendo a me virar sozinha na marra.

Acho que eu devo começar contando essa história quando em abril de 2014, eu passei por um período muito conturbado na minha vida profissional. Eu era funcionária na empresa IBM, apesar de todas as dificuldades diárias eu gostava bastante de trabalhar lá e quando fomos notificados de que a empresa tinha “nos vendido” (junto com todo o departamento) para outra empresa, e a única opção era ser demitido a recontratado por essa nova empresa (ou ser demitido definitivamente!), eu comecei a reavaliar a minha vida, se eu estava fazendo o que eu queria, se eu estava onde eu gostaria de estar, e acabei concluindo que, eu precisava passar uma temporada fora do Brasil. Os motivos sempre foram inúmeros, desde adaptação à cultura e ao clima até o simples fato de querer enriquecer as minhas experiências ao vivenciar outra cultura de perto. E foi aí que tudo começou, antes mesmo de eu conhecer o Thomas. 🙂

Com a grana da demissão, que foi bem boa, eu coloquei tudo em uma poupança e comecei a juntar dinheiro para um intercâmbio na Alemanha. Eu também comecei a fazer aula de alemão, mas acho que isso não vem ao caso, o que importa é que eu coloquei no papel os meus gastos mensais e consegui encontrar uma escola onde eu poderia aprender o idioma, com calma, sem prejudicar o tanto que eu ia guardar por mês pro intercâmbio. Acontece que eu já tinha uma viajada marcada (pra Escandinávia), justamente no período que rolou essa transição de empresas, eu já estava com praticamente tudo pago e precisei ter um pouco de paciência pra colocar os meus planos em ordem e talvez postergar um pouco quando tudo ia acontecer de fato.

Como vocês já devem saber, eu acabei conhecendo o Thomas durante essa viagem. Eu continuei com os meus planos, continuei estudando alemão e continuei guardando dinheiro. Muita coisa aconteceu, a gente teve uma conversa definitiva e apesar de já sabermos que eu viria em algum momento de fato, precisávamos de uma data. No fim de 2015 eu aceitei uma proposta para trocar de emprego, o meu trabalho na época era bem estabilizado e eu poderia facilmente seguir com a minha carreira na empresa, mas eu tinha um objetivo maior e eu ali eu vi a oportunidade que a gente precisava pra fazer tudo acontecer: era uma vaga no Google, que iria alavancar o meu currículo aqui na Noruega, o dobro do salário e o contrato era de 12 meses. Então, eu e o Thomas decidimos que sim, aquela era a oportunidade perfeita pra mim naquele momento, e quando o contrato acabasse, depois de dois meses, eu viajaria para morar definitivamente na Noruega.

Quais foram as consequências dessa decisão? Você deve estar pensando que eu fui muito sortuda em ter recebido essa proposta e “resolvido a minha vida” bem facilmente, mas na verdade não foi bem assim. Eu tinha planos de viajar para a Noruega a passeio, no meio do ano, e acabei desistindo, porque gastar com uma viagem de 15 dias, retardaria a minha mudança em 6 meses, mais ou menos. Eu e o Thomas ficamos exatamente um ano sem nos ver, e quem já teve um relacionamento a distância, sabe como é difícil, principalmente estando à 10.000km longe um do outro. Por um tempo, até eu comprar a minha passagem e ter a data definitiva da viagem, isso alimentava um sentimento de incerteza dentro da gente e esse sentimento de não saber quando tudo ia de fato se resolver, apertava o nosso coração diariamente.

O que eu acredito que seja de suma importância nesse planejamento é colocar um valor estimado para ser atingido num período x de tempo. Por exemplo, se você vai morar com alguém e dividir as despesas, talvez você precise de menos dinheiro do que uma pessoa que vai completamente sozinha, coisa meio óbvia, né? Eu me baseei no valor que a UDI pede para estudantes comprovarem anualmente como um mínimo pra se manter. Então, a minha meta era completar um total de NOK100.000 até dezembro de 2016 (sempre de olho na cotação e variação cambial, porque isso também afeta o seu planejamento). E eu consegui. E na verdade eu consegui em Julho! Trocar de trabalho e pensar lá na frente foi crucial para que eu tenha conseguido atingir o meu objetivo, que era me mudar com uma quantia confortável para não depender 100% de ninguém aqui na Noruega.

Além disso, o que eu posso deixar de dicas e que me ajudou muito foi repensar todos os meus gastos diários. Era muito fácil, com a galera do trabalho, sair no meio da tarde pra comprar algumas tranqueiras pra gente comer enquanto trabalhava, ou tomar um sorvete depois do almoço, e eu acabei percebendo que eu gastava muito dinheiro com coisas como essas, que eram completamente desnecessárias. Eu parei de sair todos os fins de semana, nem que fosse só pra jantar. Eu parei de comprar roupas, sapatos, maquiagem, qualquer item que não fossem extremamente necessário e o pensamento constante a cada compra: iria me servir de alguma forma na minha vida na Noruega? Se eu não tivesse intensão nenhuma de trazer o item comigo, eu simplesmente não comprava. E foi assim que eu acelerei o meu planejamento para que eu atingisse o meu objetivo o mais rápido possível.

De quebra, o Google entendeu o fim do contrato depois dos 12 meses como uma recisão de contrato e eu fui demitida, com todos os meus direitos no Brasil. Multa, saque do FGTS, seguro desemprego e etc. Eu acabei me mudando com um valor bem acima do que eu tinha me planejado, às vezes a sorte caminha ao nosso lado.

Eu sinceramente acredito que se planejar, não tomar uma decisão repentinamente, sem ter certeza de como as coisas vão acontecer (ou pelo menos ter uma idéia de como vai ser), pode te trazer muitas frustrações quando você se muda de fato. Vale a pena sentar, analisar sua situação atual, quais são as possibilidades, pensar um pouquinho em como vai ser lá na frente e aí sim tomar uma decisão confiável e confortável para si mesmo, mesmo que leve mais tempo para realiza-la. Às vezes, uma oportunidade como a que caiu no meu colo, não caia para você, e as coisas demorem um pouco mais pra acontecer. Se eu tivesse continuado no meu trabalho, ganhando o que eu estava ganhando, isso provavelmente teria atrasado a minha mudança em um ano, e pra mim, tava tudo bem. 🙂

Posts Relacionaods

Comentários

  • Responder Léa Blezer 4 de agosto de 2017 at 13:38

    Adorei o post!! super detalhado! estou começando um planejamento para estudar fora tbm e ver que vcs se esforçaram tanto e agora estão conseguindo é bem inspirador!! 🙂

  • Responder Hérick Ronan Ferreira 1 de setembro de 2017 at 01:09

    Fiz um planejamento bem básico sobre quanto vou ter de gastos para imigrar com a minha esposa para a Noruega, incluí tudo o que me veio em mente (tradução de documentos, deposito do aluguel, compras no primeiro mês, aplicação para o visto de trabalho/estudo e a viajem, no caso um cruzeiro de 16 dias Brasil-Alemanha e o transporte da Alemanha para a Noruega), e, cheguei no valor de 35000 reais (sendo que 18000 é só a viajem).
    Devo repesquisar? Ou esse valor está condizendo com os gastos médios?

    • Responder Stephanie 3 de setembro de 2017 at 19:52

      Oi Hérick. Esse valor é pra quanto tempo? Pro primeiro mês? Eu fiz as contas e tirando os R$18 mil da viagem, te sobram R$17 mil e isso são mais ou menos 40.000NOK. Acho que se você conseguir juntar um pouco mais, é melhor. Exemplo, o valor do visto, pra primeira aplicação é geralmente de 8.000NOK (foi o valor que eu paguei), vocês são em dois, então já são 16.000NOK só pra isso. De aluguel, se arrumarem uma casa/apartamento num valor de mais ou menos 10.000NOK (vai depender da cidade, região, enfim, estou levanto em conta o apto que eu moro aqui em Moss, por exemplo), terão que depositar uns 30.000NOK (três meses), e já passa do que você planejou. Não sei se estou fazendo as contas erradas ou se você já considerou tudo isso e os valores foram mais baixos. Acho legal você incluir também um gasto previsto pra roupas de inverno, pros dois, e querendo ou não vão precisar de um casaco e um calçado mais quente pra cada um. Enfim, se eu puder te ajudar com mais alguma coisa, é só me falar. Espero ter te ajudado, pelo menos um pouco. Beijos!

  • Responder Alana Marconi 24 de setembro de 2017 at 22:05

    Oi Stephanie, tudo bem?
    Meu noivo é brasileiro, porém tem cidadania norueguesa por conta do pai e está morando na Noruega desde Fev/2017. Ele está trabalhando na mesma empresa de navegação que trabalhava aqui no Brasil e mora de “favor” no apartamento do primo dele. Pretendemos nos casar no Brasil, em Abril/2018 e a minha dúvida é se é melhor casar aqui e ir pra noruega pedir o visto já como esposa ou pedir visto de noiva e nos casarmos na Noruega. Além disso, você chegou a trocar os seus reais por coroas? Se sim, como você fez?

    E por fim, fico feliz que as coisas estão dando certo para você! Seus vídeos estão me ajudando bastante!

    Beijinhos,
    Alana

    • Responder Stephanie 25 de setembro de 2017 at 10:20

      Oi Alana, se ele tem um visto válido para morar aqui eu me casaria aqui na Noruega. Vocês vão precisar traduzir e apostilar os documentos brasileiros e preencher os formulários do Skatt, mas indo lá eles darão todas as informações pro seu noivo. Se vocês fazem questão de se casar no Brasil, pode ser que seja mais simples registrar o seu casamento aqui na Noruega, nesse caso eu não conheço o procedimento, não sei quanto tempo demora e etc. O que eu recomendo é que você se organize bem e faça tudo nos três meses de turismo, já chega com tudo prontinho na Noruega porque as coisas aqui levam tempo. Eu sinceramente não acho que o visto de noiva seja a melhor opção, o melhor é já se casar de uma vez porque evita de pagar dois vistos em menos de um ano, fica mais barato!

      Sobre o dinheiro, eu transfiro diretamente da minha conta do Brasil pra minha conta norueguesa, enquanto eu não tinha conta aqui, eu transferia pra uma conta do meu marido, por remessa internacional, pois o IOF é mais baixo e também tem só uma taxa fixa por transferência, então eu sempre transfiro uma quantia boa pra pagar uma taxa só. Eu também trouxe um visa travel money carregado em euro pra mostrar na imigração, chegando aqui eu saquei tudo em coroas norueguesas no caixa eletrônico, mas eu já sabia que a cotação seria bem pior do que a da transferência mas quis trazer um pouco de dinheiro por conta da imigração (afinal eu entrei como turista pra ficar 85 dias de acordo com a minha passagem de volta).

      Espero que tenha te ajudado de alguma forma 😀 se tiver mais dúvidas que eu souber responder, pode perguntar, ok? Beijos e boa sorte!

  • Deixe um comentário