Estudando Norueguês

Dicas práticas pra quem quer tirar B2 na prova escrita | Norskprøve

13 de janeiro de 2019

Comecei 2019 com uma notícia incrível. Lembram que comentei nos últimos posts que no dia 10 de janeiro receberia o resultado da Norskprøve? Pois bem, esse dia chegou e com ele uma ansiedade absurda até ver o e-mail oficial do Kompetanse Norge na minha caixa de entrada com os meus resultados.

Estão preparados? Hahahaha

Antes de mais nada, para entender como funcionam os níveis em norueguês, recomendo que leia este artigo aqui. Resumindo: os níveis vão do A1 ao B2 (na Norskprøve). O A1 seria o iniciante, o A2 básico, o B1 intermediário e o B2, intermediário-avançado.

Eu tirei B1 na prova leseforståelse, que seria a prova de interpretação de texto. E tirei B2 nas outras três: skritflig, muntlig e lytteforståelse (escrita, fala e audição). Sério, até agora eu estou desacreditada desses resultados. Eu jamais imaginei que conseguiria B2 na fala e na escrita, e justamente na prova que achei mais fácil, tirei B1. Não que B1 seja uma nota ruim, muuuuito pelo contrário, eu fiz essas provas mirando completamente no B1, e se tirasse B2, seria um lucro absurdo.

E foi justamente o que aconteceu. Estou satisfeitíssimas com o meu resultado, e como sei que muita gente por aí tem dificuldade em conseguir B2 na prova escrita, resolvi criar esse post compartilhando um pouco de como pratiquei a minha escrita pra prova. Pra vocês terem uma noção, apenas 4% dos candidatos de toda a Noruega, conseguem essa nota nessa prova. Arrasei, né?! 😀

1. Aprenda a estrutura do texto

Isso é o mais importante, de fato. Logo que comecei numa turma total focada pro teste, comecei a entender como escrever um texto para atingir o nível B2. Não é simplesmente começar a escrever. Precisamos entender que um texto de nível B2, sempre tem um título, uma introdução, um corpo de texto principal e uma conclusão. Sempre! Antes mesmo de começar a escrever, eu tinha o costume de organizar na minha cabeça mesmo, como dividiria o texto. A minha dica aqui é escrever todos os textos com o mesmo “esqueleto”, assim você fixa as palavras importantes que são genéricas para todos os textos.

Por exemplo, é legal começar o texto com “Dette er et tema som stadig blir diskutert i media og politiske debatter. ” e finalizar a introdução com “I det følgende skal jeg fortelle hva jeg mener om dette“. No caso das cartas de reclamação, você pode começar com “Jeg hørte at dere har foreslått…” e concluir com “Jeg håper at dere ser saken fra mitt perspektiv og revurderer avgjørelsen“.

2. Defina a sua conclusão antes de começar a argumentar sobre o tema

Não sei se essa é uma dica que ajuda em todos os casos, mas sempre que eu lia o tema pela primeira vez, já sabia qual seria a minha conclusão sobre o mesmo. Sou contra ou a favor? Por que? Pensando nisso, em português mesmo, de forma bem simples dentro da minha cabeça, ficava bem mais fácil em procurar argumentos que fizessem com que eu conseguisse convencer o leitor de que eu tinha razão. Muitas vezes eu já escrevia a introdução e a conclusão logo de cara, e depois ia trabalhando no corpo do texto, seguindo a dica abaixo.

Uma dica sobre conclusões também é: não venha com novos argumentos no último parágrafo do seu texto. Escreva o que já escreveu antes, mas em outras palavras. Use e abuse dos sinônimos. Não precisa de uma conclusão enorme e bem elaborada, só precisa ser uma conclusão que englobe os seus argumentos de uma forma inteligente.

3. Argumente sempre contra, e a favor

Um texto de nível B2 é um texto argumentativo. É um texto onde você vai discutir com você mesmo, os pontos positivos e negativos do assunto. Mesmo que você seja extremamente contra o tema, procure pelo menos UM ponto positivo (ou o contrário), e argumente sobre. Pode ser um parágrafo curto, mas mostre que você é capaz de ver o assunto por ambas as perspectivas.

Palavras que você pode usar para expressar uma opinião contrária no seu texto, são, por exemplo “på den andre siden” ou “på den annen siden“.

4. Escreva de forma simples

Sempre que eu lia os textos dos meus colegas que tiravam B1 na avaliação do professor, e comparava com os meus, na maior parte das vezes avaliados em B2, eu via uma diferença gritante na forma como escrevíamos os nossos textos. Eu sempre procuro escrever os textos de forma simples, usando palavras que tenho certeza absoluta do significado. Não criava frases muito longas, juntando três ou quatro frases em uma, por exemplo. A minha regrinha básica era juntar no máximo duas frases. Se ficasse muito longa, eu dava um jeito de finalizar o pensamento e começar uma nova frase, e dessa forma escrevia meus textos de forma simples, mas direta.

5. Use a descrição do tema dada pelo professor/teste, a seu favor

Muitas vezes não fazemos ideia do que escrever. Nunca pensamos naquele tema antes, e fica bem difícil encontrar palavras dentro do nosso banco de dados dentro do cérebro pra formular os argumentos. E a dica é sempre usar palavras e termos que já estão dados ali na descrição do próprio exercício. Muitas vezes, lendo aquelas palavras, você consegue pensar em sinônimos a partir delas e começar a construir o seu texto a partir dai.

6. Use os “tekstbinding” a seu favor

Os tekstbinding, pra quem já estuda norueguês, são uma ótima maneira de conseguir construir as frases de forma inteligente e simples, como coloquei ali em cima. Quanto mais você usá-los de maneira correta, maior a chance de você atingir o nível B2 quando estiver escrevendo o seu texto durante o teste. Palavras como “dessuten“, “først og fremst“, “i denne forbindelse“, “for det forste/for det andre“, “i tillegg” e por aí vai. Essa é uma ótima maneira de mostrar que você entende de gramática, colocando as palavras no lugar certo, como o verbo e o resto dos elementos da frase.

7. Não se preocupe com a sua opinião

Essa é uma dica um pouco controversa, mas é a verdade. Quem avalia o seu teste, não está nem um pouco preocupado com a sua opinião. O sensor usa uma tabela pré-definida pelo Kompetanse Norge e analisa coisas bem específicas nos textos dos candidatos, e não qual a opinião pessoal do mesmo em relação ao tema. Na hora de escrever sobre um tema, escreva de forma clara, às vezes é mais fácil argumentas de forma contrária ao que você realmente acredita, pois as palavras e argumentos se formam de forma mais simplificada na sua cabeça, portanto, não se force a ter uma opinião concreta sobre o assunto. O importante aqui é saber argumentar. A favor, e contra. Desprenda-se da sua opinião pessoal e comece a ver os assuntos de ambas as perspectivas.

Obviamente eu não sou nenhuma expert no assunto. Fiz a minha primeira tentativa da norskprøve agora, e consegui a nota máxima. Treinei muito a minha escrita, aprendi a escrever como devia para fazer o teste, e acredito que sempre tive essas dicas em meus pensamentos quando escrevia os meus textos, e os usei de forma prática quando escrevi o texto na prova também.

Posts Relacionaods

Comentários

Deixe um comentário