Noruega Para Turistas

O que fazer em um dia e meio em Trondheim

16 de agosto de 2018

Recentemente fizemos uma road trip saindo de Moss para Trondheim, documentei tudo em vídeo pro canal, é claro, mas resolvi listar aqui os pontos turísticos que eu mais gostei de visitar, que na verdade foram todos, por isso dei esse título pro post hahaha. Ficamos exatamente um dia e meio na cidade eu sinceramente acho que é a quantidade de dias ideal para conhecer o principal de Trondheim.

As nossas primeiras horas em Trondheim, que fazem parte apenas de “meio” dia de tour, começaram com um passeio bem tranquilo até a Trondheim Torg, que nada mais é do que a praça principal do centro da cidade. Lá, existe uma estátua de um cara importantíssimo pra história da Noruega, o Olav Tryggvason. Foi ele quem fundou Trondheim, ainda na Era Viking, mas na época com o nome de Kaupangen. Quando visitei Trondheim, essa praça estava em reforma, mas vendo fotos dela sem os andaimes, acho uma parada obrigatória para quem visita a cidade.

Essa é uma ótima região de compras, mesmo na Trondheim Torg existem várias lojas e até um pequeno shopping, então vale a pena perder alguns minutos por ali. Existem também alguns restaurantes bem bacanas pela redondeza.

Dalí, andamos em direção à Gamle Bybro. Fazendo esse caminho, você vai passar pela Catedral de Nidaros, mas no meu roteiro não visitamos a igreja nessa ocasião (lembre-se, é um dia em e meio de tour, e a primeira parte desse post diz respeito apenas a meio dia). A Gamle Bybro, ou “Old Town Brigde”, traduzido pro inglês, é um dos cartões portais mais fotografados de Trondheim. É nela que temos aquela vista incrível das casinhas coloridas à margem do rio Nidelva.


Atravessando a ponte, estamos agora saindo do centro de Trondheim e indo em direção à Fortaleza de Kristiansten. Para chegar até ela, você precisa subir uma ladeira um pouco íngreme, mas que acompanha uma outra atração turística de Trondheim, que é o elevador para bicicletas. Que nada mais é do que duas placas de metal no chão que funcionam como um elevador para quem está de bicicleta e precisa subir e tal da ladeira. Vimos uma simulação de um turista tentando usar, e achei complicadíssimo haha, mas enfim, como está no meio do caminho, vale perder uns minutos analisando a “engenhoca” de perto.


Assim que você sobe toda a ladeira, já é possível ver a bandeira da Noruega hasteada no topo de um morro, onde está localizada a fortaleza. Recomendo muitíssimo o passeio, pois a vista da cidade que a fortaleza proporciona é incrível. Conseguimos ter uma noção de como a Catedral de Nidaros é imensa e imponente no meio da cidade. Olhando para o lado contrário do centro, conseguimos ver as casinhas típicas norueguesas ao fundo, de um bairro residencial de Trondheim. Em se tratando da própria fortaleza, trata-se de uma construção de 1681, construída com a intensão de proteger a cidade de ataques vindos do leste.

O nosso primeiro “meio dia” em Trondheim acabou por aqui, com uma caminhada de volta ao nosso hotel, com uma parada em três bares da cidade para conhecer um pouco da vida noturna de Trondheim. O único problema é que durante as últimas semanas de julho e o comecinho de agosto, muitos noruegueses estão nas chamadas “fellesferie“, então a cidade estava bem vazia, contando ainda com o fato de ser férias nas universidades também. Mas, valeu a pena pra ter um gostinho de como a cidade funciona a noite. Fomos ao Fru Lundgreen (bar de rock), London Pub (o nome já diz tudo né) e ao Good Omens (bar de metal).

No nosso segundo e completo dia em Trondheim, começamos bem cedo visitando a Catedral de Nidaros, finalmente, por dentro. Os tours começam a partir das nove, com opcão de tour guiado ou só a visita à catedral mesmo, que foi o que fizemos. Como estava rolando a montagem para os palcos do evento Olavsfestdagene, estava meio complicado de visitar a catedral por dentro, mas conseguimos ver praticamente tudo e também descer ao subsolo da mesma, onde ficam alguns sepulturas antigas. Eu sinceramente não achei nada demais dessa parte, mas vale a pena visitar a catedral por dentro, porque ela é linda e é a única catedral de toda a Noruega, sendo também a igreja mais importante do país.


Depois de visitar a catedral, andamos até as docas de Trondheim para pegarmos um barco que nos levou até Munkholmen. Os passeios começam às 10h da manhã, por isso é interessante combinar esses dois no mesmo dia. Munkholmen é uma ilhota que fica no meio do fjord e nos proporciona uma vista linda e exclusiva do centro da cidade. Vale muito a pena visitar porém, eu recomendo que se faça a visita guiada, para que você consiga absorver o máximo de informações possíveis sobre o local, já que tem muita história carregada no mesmo. Já foi um mosteiro, uma prisão e também serviu aos nazistas quando a Alemanha ocupou a Noruega em 1940. Se estiver bem quente, é legal também ir pra curtir as praias que ficam ali em volta. Vimos muitos noruegueses curtindo as mesmas, e parecia ser um local agradável para passar parte do dia se refrescando.


Saindo de Munkholmen, recomendo voltar à Trondheim e visitar a Tyholttårnet. Trata-se de uma torre de rádio, de 124 metros. Lá, é legal fazer uma parada e almoçar no restaurante que fica lá no alto, e também funciona como um observatório, trata-se do Egon, restaurante presente em muitas cidades da Noruega. As mesas do restaurante vão girante bem lentamente, e completa uma volta inteira em 60 minutos. Eu simplesmente amei a vista que temos lá de cima. Conseguimos ver como Trondheim é grande, apesar de ser só a terceira maior cidade da Noruega.


Saindo da torre, fomos até o museu interativo de música popular norueguesa, o Rockheim. Eu queria muito visitar esse museu porque sabia que tinha referências do black metal norueguês no mesmo, e não me arrependi. O museu é bem completo, passa por diversas eras da música norueguesa, mesclando informação com interação. Na sala do black metal, que representa uma sala de ensaio de bandas do black metal norueguês nos anos 90, temos um telão gigante no fundo da sala que funciona com fitas cassete, conforme vamos escolhendo e trocando as bandas, vai rolando um clipe ou vídeo ao vivo da banda tocando naquela época. Na parede, pôster de eventos e festivais que rolaram na Noruega nos anos 90. O melhor dessa sala, é uma televisão bem retrô, com imagens e reportagens das queimas de igrejas e todas as polêmicas que aconteceram no país naquela época. Vale muito a pena a visita!


Pra terminar o dia, você pode optar por um jantar em algum restaurante típico (ou não) na cidade, eu não tenho nenhuma recomendação porque sou intolerante ao glúten e acabo sempre indo nos lugares que eu já conheço e confio. Também é bacana terminar a noite em algum barzinho do centro, principalmente se for um sábado, como foi o nosso caso.

Amei muito conhecer Trondheim, uma cidade que me conquistou a ponto de me fazer ter vontade de morar nela. É encantadora, pequena mais ou mesmo tempo grande, com bastante coisa para ver e fazer. Existem vários pontos interessantes ao redor da cidade, que quero muito conhecer, por isso, voltarei com mais tempo para aproveitar o melhor de Sør-Trøndelag com calma.

Fotos: todas as fotos ilustradas no post foram feitas por mim. Estão sem edição porque as fiz com o celular, e como podem notar pela foto de capa, a qualidade cai muito quando tento editar 🙁 enfim, apenas não as use sem a minha autorização.

Posts Relacionaods

Comentários

Deixe um comentário