Estudando Norueguês

Voksenopplæring: a primeira semana no curso de norueguês

30 de agosto de 2017

No dia 21 de agosto eu comecei no Voksenopplæring aqui em Moss. Pra quem não sabe, o Voksenopplæring é basicamente uma escola de idiomas e integração para imigrantes adultos que chegam na Noruega. Aqui é possível fazer aulas de norueguês e também de integração na sociedade. No caso de pessoas que se casaram com algum cidadão norueguês, os cursos não são só gratuitos como também obrigatórios. Mas, se você não tem direito ao curso gratuito e quer fazer mesmo assim, existe a possibilidade de pagar pelo mesmo e fazê-lo da mesma forma.

O primeiro dia começou num horário pouco convencional. Por e-mail, fui avisada para chegar lá às 11h, que era o horário marcado para novos alunos. Quando eu cheguei na escola, parecia não ter muita gente esperando pelo primeiro dia, mas faltando uns 5 minutos pra reunião começar, chegou muita gente. Devia ter mais de 50 pessoas na sala, sem brincadeira.

Começou com uma das coordenadoras da escola dando as boas vindas e explicando como funciona a escola, faltas, horários, e coisas práticas que todo mundo deve saber. Nesse momento, tinha um professor que era de norueguês-árabe e um de norueguês-inglês ao lado dela, que traduziam frase a frase, tanto em árabe quanto em inglês, para que todos entendessem todas as informações passadas. Depois disso, os professores se apresentaram e começou uma “chamada oral” para selecionar quais alunos teriam aula com qual professor. Eu não sei qual o critério usado para essa seleção, se eles levam o país de origem em consideração, tipo de visto, sinceramente não sei, mas o que notei foi que o primeiro grupo foi único e exclusivamente formado por pessoas de países árabes, muito provavelmente todos eram refugiados.

Eu estava na terceira lista de chamada, com o professor Per e a professora Heid, em uma turma que estudará a tarde, das 12:15 às 15:30. No começo, eu fiquei bem infeliz com essa escolha, porque eu prefiro estudar de manhã e ter o resto do dia livre, mas depois acabei entendendo que pode ser uma boa idéia fazer isso pela tarde, pelo menos nesse começo de curso. Posso acordar um pouco mais tarde, o inverno tá chegando e isso vai ser bem importante, também tenho liberdade de resolver minhas pendências pela manhã (como ir ao médico, imigração, ir aos correios, etc) e não passo horas esperando pelo Thomas, dessa forma meu dia fica bem ocupado até ele chegar do trabalho e a gente fazer nossas coisas juntos. Eu não tenho nada pra fazer no meu tempo livre, então não faz muita diferença estudar de manhã ou a tarde, se algo acontecer e eu precisar, posso trocar de turma conforme a minha necessidade.

Dito isso, fomos todos para a sala com os professores, e sim, são dois professores. Na verdade, três! Mas a terceira não estava lá no primeiro dia. A minha turma era a única que tinha mais de um professor, e eu também não sei se existe algum critério especial pra isso. Mas os dias da semana são divididos entre eles, na segunda-feira temos aula com a Heid, de terça à quinta com o Per, e de sexta-feira com uma vikar (substituta). E no primeiro dia foi só informações práticas e didáticas. Explicaram os horários das aulas, a divisão dos professores, qual livro vamos usar (o På Vei, e quem tem direito ao curso gratuito também tem direito a ter os livros tanto emprestados – o livro de texto – quanto dado – o livro de exercícios) e também uma breve apresentação de cada um, falando o nome e de onde viemos. Foi bem curtinho, durou no máximo uma hora e meia tudo isso.

Durante todos os próximos dias da semana, começamos a aprender o alfabeto, pronúncia e a formar frases simples. Aprendemos a falar como nos chamamos, de onde viemos, nossa idade, os números (ordinais também) e coisas desse tipo. Eu sinceramente achei o aprendizado bem lento. Mas entendo que precisa ser assim, porque tem gente na sala que não entende absolutamente nada em norueguês. Eu particularmente entendo 99% do que os professores falam, respondo todas as perguntas e consigo elaborar algumas frases mais complexas. Eu sempre estudei norueguês sozinha em casa, desde que me mudei, diariamente vejo um progresso ao ouvir as pessoas conversam, muitas vezes entendo tudo e algumas vezes não entendo nada (faz parte, hahaha), mas me sinto bem familiarizada com o idioma. Na quinta-feira, o professor me chamou pra conversar, depois de um teste que fizemos, e perguntou se eu estava feliz com o meu desempenho. Eu disse que por enquanto sim, é o quarto idioma que eu aprendo então meu cérebro já sabe como tudo funciona. Então ele disse que percebeu que tenho um “cérebro acadêmico”, que eu aprendo e absorvo tudo muito rápido e que muito provavelmente em algumas semanas vai me colocar em uma turma um pouco mais avançada no idioma, porque essa turma está muito iniciante e básica pra mim. Isso ainda não aconteceu, mas fiquei bem feliz com o feedback dele.

Na minha turma, temos uma mistura bem legal de países: Brasil, Ucrânia, Polônia, Vietnam, Tailândia, Latvia, Lituânia, Afeganistão, Quênia, Sérvia, China e Eritrea. Eu sento sempre com a menina da Ucrânia e a gente sempre faz exercício junto com a da Polônia, porque ela não fala nadinha de inglês, então somos forçadas a falar em norueguês o tempo todo com ela. Na escola também conheci uma brasileira, de outra turma, que estuda a tarde também. Ela estuda norueguês há mais ou menos um ano e meio, já está num nível bem mais avançado, e foi bem legal conhecê-la, finalmente alguém pra fazer alguma coisa aqui em Moss! 😀

Posts Relacionaods

Comentários

Deixe um comentário