Estudando Norueguês

Voksenopplæring: reta final!

24 de agosto de 2018

As férias chegaram ao fim, e eu voltei pro curso de norueguês. Contei pra vocês como estava o meu norueguês depois das 550 horas obrigatórias de curso, e eu não sabia muito bem como dar continuidade ao assunto porque eu estava entrando nas férias de verão naquele momento. Então, voltei aqui pra contar como está sendo essa experiência de voltar pro curso e quais são os meus planos em relação à língua por agora.

Dando um breve relato pra quem não leu os últimos posts sobre o assunto aqui no blog, eu comecei no curso de norueguês em agosto de 2017. Comecei o semestre no primeiro dia de aula do ano mesmo, então gosto de contar minha experiência até aqui como um ano letivo completo, de agosto até junho. Eu cometi um erro gigantesco que foi dizer a escola que eu não sabia nada de norueguês quando eu entrei. Por que isso foi um erro? Porque na minha concepção, eu de fato não sabia nada de norueguês mesmo, mas na verdade eu sabia sim (na concepção da escola). E hoje eu entendo o tanto de tempo que eu perdi por ter me colocado abaixo ao nível que eu realmente estava baseando-me na minha experiência com outros idiomas, na nossa mentalidade de que se não sei formar muitas frases, não sou nem básico em algum idioma.

Na verdade eu queria mesmo aprender o idioma do zero, não perder nadinha de gramática, aprender o bê-a-bá e tal, mas depois de alguns meses na escola eu percebi que o ritmo lá é outro. Você vai mudando de turma, de livro e de nível, conforme o seu desenvolvimento. Isso é bem legal, mas ao mesmo tempo vejo vários erros no nivelamento dos alunos. Alguns tem muita facilidade com a fala, mas são péssimos em escrita, e outros, são definitivamente ao contrário (o meu caso, por exemplo), e muitas vezes os níveis não batem, porque querendo ou não, você tem que estar alinhado em todos os aspectos do idioma (ouvir, falar, ler e escrever). Mas isso não é assunto pro texto de hoje, só queria dar um overview geral mesmo pra quem está chegando agora e também compartilhar um pouco da minha visão sobre o Voksenopplæring.

Um ano se passou, as 550 horas obrigatórias que tanto me assombravam estão finalmente terminadas. Agora, eu me sinto até um pouco mais livre pra “perder” horas/aula caso eu precise, porque o “pior” já passou. Depois de ter usado o livro På Vei (nível A1/A2), Hei A2, Stein på Stein (nível B1), cheguei ao topo dos níveis da minha escola. Estou usando o livro Her på Berget, que teoricamente seria de nível B2. Estamos começando a partir do capítulo 9, porque apesar de estarmos começando um semestre inteirinho de novo, muitos alunos da minha sala estão de volta ao curso pra tentar uma segunda vez a norskprøve. Gostei dessa solução? Não, eu gostaria muito de fazer o livro Her på Berget do zero, mas como em todas as outras turmas que eu fui caminhando durante meu desenvolvimento do idioma na escola, peguei os livros todos pela metade e dei conta do recado. No På Vei, comecei no capítulo 8. No Hei A2, comecei no capítulo 6 e no Stein på Stein, no capítulo 7. Então, sem muitas novidades por aqui. Estou estudando capítulo a capítulo em casa, pra reforçar regras gramaticais e também aprender palavras novas, porque isso é o mais importante nesse nível que estou agora: adquirir vocabulário.

E por que falei tudo isso até agora? Porque estou de fato na reta final do meu aprendizado em norueguês. Por regra, eu poderia estudar até 3.000 horas aulas se fosse necessário, mas eu estou meio de saco cheio dessa vida de estudante. Parece que a nossa vida pára, e quando não se tem objetivos concretos, a impressão que dá é que não nos esforçamos o suficiente pra fazer determinada coisa. E foi isso o que aconteceu comigo nesse momento. Eu preciso dar um pontapé, focar e ter um objetivo. E o meu objetivo é a tal da norskprøve. A norskprøve é (um dos) exame de proficiência no idioma norueguês, existem alguns níveis diferentes e o estudante pode escolher, junto do professor, qual se encaixa melhor a ele. Eu ainda não sei qual farei, mas sei que farei a próxima prova, que vai ser entre o fim de novembro e comecinho de dezembro. Preciso terminar esse ciclo na minha vida.

Por isso, entrar na turma mais alta da escola está sendo ótimo pra mim. A começar que nas outras turmas, as pessoas não querem e não vão se esforçar pra aprender o máximo de norueguês, justamente por serem níveis intermediários. Nessa, o professor foca 100% em dois níveis da prova: A2-B1 e B1-B2. Os alunos farão exercícios específicos de acordo com o nível de prova que vão fazer. Tanto de escrita, quanto de fala. Um exercício de escrita por semana, onde recebemos todas as instruções para criarmos os textos nos padrões e estruturas de nível B2. E dois exercícios de conversação por dia. Um para falar sozinho, e um de diálogo em dupla. Eu estou satisfeitíssima com o caminhar das aulas até aqui. Sinto que agora o meu objetivo, que é fazer essa prova, está cada dia mais real, mais possível e sinto que a preparação para isso está acontecendo de fato.

Acrescentando informações práticas no post sobre o assunto: nesse semestre as minhas aulas serão apenas de segunda a quinta-feira, com as sextas denominadas de “selvstudium“. O que significa que ficaremos em casa e teremos tarefas para fazer e entregar num tempo limite (mesmo dia ou segunda-feira seguinte) para o professor. Essas horas, mesmo que em casa, contam como um dia de escola. Gostei muito dessa liberdade e flexibilidade em ir apenas quatro dias por semana, já que as aulas são pela tarde, o que quebra completamente um dia normal onde eu poderia aproveitar as horas extras para fazer outras coisas. Mas, até que não é tão ruim, estou ocupando as minhas horas fora da escola com o aprendizado da língua (é, eu tô meio focada demais, eu acho!). Estudando com um outro livro que comprei a parte, assistindo séries e filmes em norueguês e também praticando conversação dos possíveis temas da prova com o Thomas, praticamente todas as noites. Volto pra dar notícias de como está sendo a minha evolução, qual o nível que o professor vai me recomendar e detalhes sobre a prova mais pra frente. Me desejem sorte, porque eu sinto que o meu cérebro vai explodir a qualquer momento!

Posts Relacionaods

Comentários

  • Responder Lucas 25 de agosto de 2018 at 09:34

    Ste, te desejo toda sorte no mundo e acredito que com toda essa dedicação e perseverança de aprender essa nova língua você passará nessa prova, bem como teus objetivos futuros darão certo! Acho massa quem se dedica dessa forma, até pq no seu caso não tem pra onde correr né rs, pra se relacionar com as pessoas, trabalho etc é importante já ser fluente no norueguês até pq ajuda a abrir muitas portas.
    Aí quando você já tiver bem fluente mesmo, vc e o Thomas já fazem um Black metal em norueguês e cê sai berrando aí mostrando que é fera na língua HAHA 🙂 abraço!

    • Responder Stephanie 25 de agosto de 2018 at 17:08

      Obrigada 😀 estou tentando, espero que eu tenha resultados satisfatórios que me ajudem no meu futuro não muito distante por aqui. Sem norueguês, infelizmente não dá pra ir muito longe. Beijos e obrigada pela mensagem!

  • Responder Carol 25 de agosto de 2018 at 14:52

    Eu achei bem legal que no início do texto você mencionou que o nivelamento deveria ser melhor. Eu super concordo pq sinto exatamente a mesma coisa! Eu tenho uma certa facilidade para escrever e entender os pontos gramaticais mas a fala é terrível pra mim ..
    Queria um curso só de conversação antes de seguir para o B1!!

    • Responder Stephanie 25 de agosto de 2018 at 17:09

      Você já tentou ir aos språkkaffe que tem nas cidades? Eu não gosto porque sou bem introvertida, prefiro sentar em casa por 1h e conversar com o Thomas todas as noites, mas pra quem quer praticar a fala é uma ótima opção. Tem alguns que vão locais como voluntários então fica mais interessante. Beijos e boa sorte!

  • Responder Léa 25 de agosto de 2018 at 19:10

    Obrigada por compartilhar a experiência e toda a sorte na prova, vai dar tudo certo! ☺️

    • Responder Stephanie 26 de agosto de 2018 at 17:09

      Obrigada Léa!

  • Deixe um comentário